3 Série Estudando Fora - Edição Alemanha Parte 2






Hey, você que ama a Alemanha! Sim, nós temos mais uma parte da Série Estudando Fora sobre a terra que nos castigou com o 7 x 1 na Copa do Mundo de 2014. Haha

A Thainá, que estagiou junto comigo há um tempinho atrás, é a pessoa mais fofa do mundo e topou responder essas perguntas curiosas da Série Estudando Fora! 

Thainá, que saudade de quando a gente se via a semana inteira, e ficava conversando, e você ficava tentando me ensinar alemão  e a gente comia cookies do Besi!

Se tem uma coisa que essa menina entende é de viajar! Haha É mais fácil perguntar onde ela ainda não foi. E é com essa autoridade toda que ela conta pra gente como está sendo fazer o mestrado em Estudos Europeus na Alemanha.

Ahh! E dessa vez o post tá recheado fotos!

Deixem seus comentários e dúvidas! Vamos ficar felizes em responder, ok?

Beijos!

Laís


***Estudando na Alemanha Parte II***




Perfil
Nome: Thainá Leite

Idade: 22 anos

País e cidade onde está morando: Alemanha, Flensburg

Universidade onde você está estudando: Europa-Universität Flensburg

O nome do seu curso: European Studies(Estudos Europeus)

Marque uma das opções abaixo:

[  ]graduação  [X]mestrado






Acadêmico

Você sempre quis estudar fora do Brasil?
R.: Sim, desde sempre! Eu já tinha feito intercâmbio duas vezes e sempre que eu voltava pra casa o sentimento de estudar fora de novo ficava cada vez mais forte.

Qual foi a maior diferença que você notou entre estudar no Brasil e estudar no país onde está agora? Quais foram as maiores dificuldades?
R.: Acho que a maior diferença é a dinâmica/relacionamento entre a universidade e o aluno. Aqui na Europa, especialmente na Alemanha, os alunos são muito livres em relação a organização dos seus trabalhos e horas de estudo. E para mim, essa é uma das maiores dificuldades. Eu tenho a mania de sempre anotar tudo em uma agenda para que eu consiga me organizar mentalmente. Ou seja, eu preciso de datas e prazos com uma certa antecedência e isso não é algo tão importante na minha universidade.

O pessoal na universidade foi receptivo?
R.: Sim. Especialmente pelo fato do meu curso ter alunos de diversas nacionalidades.

O que as pessoas daí acham do Brasil?
R.: Depois da Copa do Mundo, o Brasil é o “queridinho” aqui na Alemanha. Sempre que eu falo que sou carioca e brasileira, as pessoas já abrem um sorriso no rosto! Acredito que as pessoas tenham uma visão boa do país, mas sabem que enfrentamos sérios problemas diariamente. Alguns dos meus colegas de turma até vieram me perguntar sobre as últimas eleições e os protestos que ocorreram em 2013. Outras pessoas, infelizmente, ainda tem em mente os estereótipos impostos pela mídia e/ou falta de informação (acredite: uma vez, logo após de eu dizer a minha nacionalidade, me responderam o seguinte: mas você é branca!). Contudo, o que mais me chamou atenção foi o fato de muitos alemães – e também alunos de outras nacionalidades – se interessarem pela língua portuguesa e a acharem uma das mais bonitas do mundo.

Quais são as dicas que você dá para os brasileiros que querem estudar fora do Brasil?
R.: Se organizar com antecedência, não ficar “preso” a questões sentimentais (óbvio que todo mundo sente saudade dos amigos e da família, mas faz parte! Seja forte!), não ser dependente e estar aberto a novas experiências. Se esse é o seu sonho, segue em frente que você consegue e não irá se arrepender!



Cultural

Como foi o processo de mudança?
R.: Foi tranquilo. Já havia conseguido um quarto no dormitório da universidade antes de deixar o Brasil e também já tinha entrado em contato com alguns alunos chamados “campus angels” que ajudam com dicas, questões burocráticas (contratos dos dormitórios, chaves, etc), e também, se houver necessidade, buscam os alunos na estação de trem da cidade. E isso me ajudou bastante depois de 2 voos e uma viagem de trem com duas malas gigantes! Depois, foram questões de visto de residência, abrir conta bancária, me registrar na cidade, matrícula na universidade, etc.

Quais são as diferenças culturais mais marcantes entre o Brasil e o país onde você está?
R.:Os alemães são um tanto quanto “secos” e diretos. Não são chegados em beijos e abraços com pessoas que não sejam muito íntimas. Além disso, se um alemão não gostar de algo que você fez, por exemplo, ele irá dizer na sua cara – e muitas vezes sem ser de uma maneira fofa. Também acredito que em alguns momentos eles não saibam lidar com o inesperado e achar soluções para o ocorrido (e pode ser algo simples como o preço diferente de uma passagem ou algo mais complexo como um acidente na linha do trem – nessas horas eu acho que nós, brasileiros, estamos mais treinados a lidar com essas adversidades).

Qual o feriado/festa nacional mais divertido/interessante no país onde você está?
R.: Dia da Reunificação alemã e Oktoberfest.

Fofa! <3 


Como é o custo de vida no país?
R.: Comparando com outros países da Europa, como França e Holanda, acredito que a Alemanha tenha um custo de vida relativamente barato. E comparando os meus gastos de quando eu morava em Portugal e agora, também acho que é um pouco mais barato.

Onde você está morando? Aluguel, alojamento, residência estudantil etc.?
R.: Moro do dormitório de estudantes da universidade. Divido um apartamento de 4 quartos com outros 3 estudantes.

Quais os lugares que você mais gosta de visitar aí?
R.:Gosto muito de ir para o porto. Tem uma vista linda cheia de barcos e casas bonitas ao redor. É muito comum os jovens comprarem algumas bebidas e petiscos e irem comer ao redor do porto durante dias quentes e/ou ensolarados.

Esse é o Porto!


O que você mais gosta de comer aí?
R.: Gosto muito de currywurst (linguiça com molho curry) com batata frita.

Como você se locomove até a universidade ou outros lugares? 
R.: A pé (para a universidade, já que moro dentro do campus) e de ônibus para o centro da cidade.

Você pensa em ficar de vez no país onde está estudando? Por que?
R.: Não, mas penso em continuar na Europa. Meu objetivo é me mudar para a Bélgica por questões profissionais (estudo European Studies e Bruxelas é considerada a capital da União Europeia. Então acredito que lá tenha mais ofertas de trabalho relacionadas a essa área) e poderia dizer que por questões pessoais também.

Qual é a parte mais legal da experiência de estudar fora?
R.: Conhecer pessoas novas, vivenciar novas experiências, aprender novas línguas, amadurecer e se tornar mais independente.
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. que fotos lindas! E, obrigada, agora descobri que preciso de currywurst na minha vida... ¬¬ comofaço?!

    ResponderExcluir
  2. Thainá linda! Saudades! :) To adorando seus posts laís! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Isso dos alemães serem bem secos é muito verdade! Já levei "bronca" de um por simplesmente querer dar um abraço, já que eu já tinha conversado com ele mias de uma vez antes e era amigo de um amigo meu. De acordo com ele, "não é assim que se cumprimenta". hahahaha

    ResponderExcluir