0 Tapete Vermelho: Lucky Ladies



Olá pessoal!

Nessa semana vamos falar de 6 artistas de uma só vez, já que de uma só vez, elas nos fizeram derreter com todo o seu carisma, originalidade, coragem e talento! Vamos falar das Lucky Ladies!




O reality foi exibido pelo canal Fox Life e mostra o dia-a-dia de 5 funkeiras que se mudaram de suas favelas para morar em uma cobertura em Copacabana e sua interação com o objetivo de formular um novo projeto musical coordenado por Tati Quebra Barraco. Acredito que o maior patrocinador do reality foram os fogões Dako, porque Dako é bom.

O mesmo reality já foi exibido no México com mulheres de cantores de rock.

OBRIGADO FOX LIFE POR NÃO FAZER O MESMO AQUI.



O programa entrou várias vezes nos trending topics do Twitter e foi um dos assuntos mais comentados nos últimos 2 meses. É louvável a iniciativa do canal em promover tal projeto principalmente no que tange ao preconceito contra o funk e as funkeiras em si. Através do reality, é possível ter mais contato com o estilo, quebrar preconceitos e perceber que as funkeiras não são simplesmente aquelas mulheres vulgares que cantam palavrão. Poucos reality shows refletem de maneira tão precisa as dificuldades, obstáculos e os prazeres da vida Todas elas tem coração, história e quantas vezes não rimos, choramos e refletimos com elas não é mesmo? Assim, sobram lições de vida e momentos que ficam na história (também conhecidos como: viram memes).

TATI QUEBRA BARRACO

Tati dispensa grandes apresentações, foi uma das primeiras funkeiras a ganhar fama do país por suas músicas baseadas em palavrões e trocadilhos de duplo sentido. Fez mais de 26 cirurgias plásticas, incluindo implante de silicone nos seios e redução de estômago e o resultado foi este:
Nome artístico de Tatiana dos Santos Lourenço, nasceu e foi criada na favela da Cidade de Deus, zona oeste do Rio de Janeiro em 20 de setembro de 1979. Em entrevista à revista Veja, disse ter como inspiração musical a cantora pop norte-americana Britney Spears. Tati já admitiu que sua principal diversão na vida é passar a tarde vendo novelas mexicanas no SBT.
Hoje mora em um luxuoso apartamento na Cidade de Deus. Faz questão de não abandonar o lugar onde nasceu e cresceu. A funkeira já foi presa duas vezes, em 2006, por porte de drogas e dirigir sem a carteira de habilitação.
Seu DVD ganhou o prêmio "DVD de Ouro" do programa Domingo Legal
A cantora tem projeção internacional e já fez diversos shows no exterior, principalmente na Alemanha e nos Estados Unidos.
Em 2010, o Partido Trabalhista Cristão (PTC) lançou a candidatura de Tati para o cargo de deputada federal. A cantora conseguiu apenas 1052 votos, ou seja 0,01% dos eleitores, não conseguindo se eleger. Depois disso, a cantora não retornou à carreira política, porque né, cabô caqui tu vai embora.
Em Lucky Ladies, Tati se provou muito comprometida com o projeto ao afirmar que:


E completou com:


RAINHA NÉ MORES?



MARI SILVESTRE

Vinte e quatro anos e natural de Araraquara, São Paulo, Mariane Silvestre é tipo o Vasco: viciada em ser vice. Já foi Vice Miss São Paulo 2011 e vice Miss Mundo Brasil 2012, já foi coleguinha do "Caldeirão do Huck" e já foi capa da Playboy. Hoje, ela tenta ser funkeira. Tenta.

Não tem mais muito o que falar dela. Fui tentar fuxicar a vida dela pela deep web e só achei ensaio fotográfico, inclusive dela nua. Já trabalhou muito como modelo. Como a própria Tati disse "é uma patricinha no mundo do funk". Apesar de estar começando agora, sabemos que a morena tem muito potencial e quem sabe não vai pra frente né gente? Aguardemos os próximos episódios.



Juntas, durante o reality, Tati e Mari gravaram o clipe da música John John.



MULHER FILÉ a.k.a YANI FILÉ





Yani de Simone é pisciana, nasceu no Rio de Janeiro em 21 de fevereiro de 1989 e ficou conhecida aos 18 anos após fazer grande sucesso como dançarina do Mr.Catra, atualmente Yani Participou do Reality Show, A Fazenda, e ficou em 6º lugar. Yani já emplacou vários sucessos no mundo do funk, como "Estaladinha", "Tá Calor, Tá Quente", e atualmente sua música de sucesso é "Na Maldade". Uma de suas marcas é uma famosa dança onde "engolia" celulares com o bumbum (não faça isso em casa).

Sempre foi destaque no mundo do funk por ser "gordinha", mas nem sempre ligar pra isso. Mulher filé é conhecida pelo velho efeito sanfona, ora aparece mais marginha, ora, mais gordinha. O apelido de "Filé" vem, de acordo com a própria, de que ela "continua gostosa mesmo com tanta gordura." Filé é do tipo que vai pra balada pra rebolar a bunda, então quanto mais melhor.

Filé foi uma das referências em Lucky Ladies e tem VÁÁÁÁRIAS pérolas maravilhosas soltas durante o programa.



HÁ FALSAS ENTRE NÓS


MC SABRINA

É a mais sofrida das participantes. Já contou que quebrou a casa toda porque tinha raiva da própria vida. 

Sinto um ar meio shimbalaiê nela, gravou o clipe de "Sou Diva" com Thammy Gretchen e rolou até beijo. Você pode conferir o clipe aqui, mas o Ministério da Saúde adverte que: +18.





Em 2005 lançou o CD "O melhor de MC Sabrina", no qual foram incluídaos vários de seus sucessos, gravou em dueto com Buchecha a música "Felicidade" e ainda "Implacável", parceria de ambos.

Participou da coletânea "Elite do funk", interpretando a faixa "Eu te amo". Do disco também fizeram parte outros importantes MCs do cenário do funk carioca, entre os quais MC Sapão, MC Leozinho, Tati Quebra-Barraco e Mr. Catra.


Em 2007, ao lado de vários convidados, entre os quais Buchecha, participou do evento organizado pela Furacão 2000 no Claro Hall, no Rio de Janeiro. Na ocasião cantou seus maiores sucessos: "Eu te amo", "Buchecha e Sabrina", "Implacável" e "Tamos juntos e misturados", entre outros.

No reality, apresentou uma das histórias mais emocionantes. Na segunda semana, Tati Quebra Barraco chamou uma por uma para uma conversinha. A última chamada para o papo foi MC Sabrina. O papo começou bem leve, com o produtor Rafael Ramos perguntando onde ela ainda não foi dentro do mundo no funk. “Na putaria” respondeu Tati na lata e todo mundo deu risada. Papo vai, papo vem, Tati falou que precisava saber um pouco da vida de MC Sabrina, e a primeira frase dela já deu o tom do relato: “minha adolescência foi uma merda, eu passei a maior humilhação que uma adolescente pode passar, de boa”. Se prepara.

MC Sabrina contou que sua mãe a obrigava andar com roupas largas, porque tinha medo que a filha sofresse algum abuso sexual como ela havia sofrido no passado. Durante a fase dos seus 14 anos, ao tirar o espelho do seu quarto, ela descobriu um buraco atrás que seu padrasto usava para espiá-la. Com tudo isso, Sabrina se mudou para a casa de uma conhecida, e foi onde ela conheceu o rapaz por quem se apaixonou e teve sua primeira vez. Ela veio a ter um filho, que faleceu de insuficiência respiratória aos 7 meses de idade. Sabrina pareceu bem abalada ao relatar isso, pois ela estava em um show em São Paulo e não pôde estar perto do filho.
Ela não desistiu da carreira musical e chegou a engravidar de novo. Aos 8 meses de gravidez ela pegou a estrada Rio-Santos e sofreu um acidente horrível por causa de um deslizamento e o médico disse que ela só sobreviveu porque estava grávida e isso protegeu seu coração, porém, o bebê faleceu. No hospital, ela ainda ouviu de uma pessoa próxima que ela era a culpada por tudo isso. Ela acabou ficando internada numa clínica psiquiátrica porque passou a ter ódio de tudo, da música inclusive, e ficava em casa quebrando as coisas. Tati e Rafael, então, saíram da posição de juízes e deram um longo abraço na MC Sabrina.
O pessoal nas redes sociais ficou bem comovido com a história. Várias pessoas se ressentiram e comentaram no Twitter. Depois de ouvir tudo isso e parar pra pensar que a gente reclama por qualquer besteira é compreensível porque MC Sabrina era uma das mais fechadas do reality e fazia questão de falar da  sua realidade nas suas músicas. Ela entende que precisa fazer com que o mundo entenda que funkeira também tem história traumática e que a vida na favela não é fácil. Gosto muito da Sabrina, desde a época de Sabrina e Buchecha e passei a gostar mais dela depois de ouvir tudo isso. Ela é realmente uma guerreira. A BICHA É BEM E A BICHA FECHA.























Juntas, durante o reality, MC Sabrina e Mulher Filé gravaram o clipe da música Não Desisto.


KAROL KA

Não confunda com a Karol Conká. Essa aqui é cantora ex-gospel e já participou dos programas High School Musical - A Seleção e The Voice Brasil 1. Mas o fato mais triste de sua carreira foi ser backing vocal do cantor Latino.






















Começou a cantar aos 7 anos numa igreja evangélica frequentada pela família. Começou a fazer aula aos 3 anos e aos 15 já era formada em jazz moderno.

Em 2003, inspirada em seus pais que era evangélicos, gravou seu primeiro álbum, intitulado "Não Pare", focado na música black gospel e veiculado apenas em Minas Gerais. Em 2007, aos 17 anos trocou Belo Horizonte por São Paulo, onde dividia o aluguel de um apartamento com uma amiga, e passou a receber influências de música pop e conhecer outros gêneros, participando dos programas de calouros Ídolos e Country Star.


Em 2008 participou do HSM - A Seleçãoreality show que escolheria o elenco do longa-metragem High School Musical: O Desafio. No ano seguinte integrou o elenco de Quando Toca o Sino e em 2010 participou de High School Musical: O Desafio em que interpreta uma aluna responsável e engajada que acaba apaixonando-se pela música, além de excelente cantora que almeja o sucesso. Em 2009 formou Kandies, com o qual lançou os singles"Video Game" e "Como Se Faz", além de se apresentar no Criança Esperança. Em 2010 se tornou backing vocal do cantor Sidney Magal e, logo depois, passou para a banda de Latino.
Em 2012 Karol participou da primeira temporada do 1ª temporada de The Voice Brasil e, em 2013, do Fábrica de Estrelas. Neste mesmo ano passou a se envolver com o gênero de funk melody e passou a ser agenciada durante algum tempo por Valesca Popozuda, que a iniciou neste mercado. Para a nova fase na carreira altera o nome artístico para Karol Ka e lança seu primeiro single oficial, "Pedra Preciosa". Em 2015, assina com a Universal Music para seu primeiro álbum em circulação nacional.
Resumo dessa garota: ela é chata. Ponto. Next.




MC CAROL a.k.a MC CAROL DE NITERÓI a.k.a CAROL BANDIDA

CHEGOU A HORA DE FALAR SIMPLESMENTE DA RAINHA DESSE REALITY.






















Mc Carol foi, de longe, quem mais atraiu olhares em Lucky Ladies, surpreendendo a todos com seu carisma, originalidade, coragem e talento. Carol sempre foi gordinha e demonstra que é feliz assim, que se sente desejada e completamente amada pelo atual marido.
























Mc Carol acredita na humildade para ter sucesso no funk. Hipnotizante, engraçada, carismática, marrenta e feminista como poucas artistas no Brasil, ela recebeu grande destaque em 2012 com a música "Minha Vó Tá Maluca". Nos anos seguintes, galgou seu lugar no mundo do funk com "Vou Largar de Barriga", "Tô Usando Crack", "Meu Namorado é Maior Otário", "Bateu uma Onda Forte", entre outras. De acordo com Carol, o funk não se aprende, ele se vive e suas músicas são relacionadas a acontecimentos de sua vida e da vida de quem a rodeia.


Nascida na comunidade Preventório, em Niterói, a funkeira não tem medo de ousar nas letras e faz sucesso por sua irreverência e autenticidade. Ela é apontada como a sucessora de Tati Quebra Barraco (inclusive pela própria Rainha do Funk, que demonstrou toda sua admiração por Carol no reality.



Criada pelos avós, Carol teve uma infância muito difícil. Com jeito de "mulher-macho" e rebelde, ganhou o apelido de Bandida ainda na infância. 

"Eu respondia os professores, não tinha medo de ninguém, sempre fui rebelde. E todo mundo falava: 'Essa garota quando crescer vai ser bandida'. Mas não que eu tenha feito alguma coisa de errado, tipo roubar ou traficar. É o meu jeito masculino. Pra não me chamar de Carol Mulher Macho, me chamam de Carol Bandida."

A história de MC Carol com o funk começou por acaso, respondendo à provocação de um mototáxi na comunidade. O verso deu certo, o cara passou vergonha e os amigos de Carol descobriram um potencial que até ela desconhecia. A pedido deles, ela terminou de escrever a música em casa e foi para o baile funk. 

"Eu nunca trabalhei de carteira assinada, eu vivo do funk há quatro anos, e vivo muito bem."

A experiência de Lucky Ladies, segundo ela, mudou a sua vida.

"Foi maravilhoso, me deu uma visibilidade que nunca imaginei ter. Foi uma coisa que me mudou também com relação a ver outras meninas mais empenhadas no trabalho delas. Eu era desligada, deixava tudo na mão dos outros. Eu estou me interessando, fico por dentro de tudo. Eu estou muito mais vaidosa. Quem acompanhar o reality show vai perceber isso."

Durante o reality show, MC Carol expôs também o casamento dela com Alexandro. Com um marido bastante ciumento, enfrentou dificuldades no início do relacionamento. Os dois brigavam muito e alguns desentendimentos chegaram a agressões. Tanto que ele foi preso após denúncia da funkeira e ficou em regime semiaberto.

"Ele quebrava as minhas coisas, isso é danos morais; ele me trancava em casa, isso é cárcere privado; e ele também me ameaçava. Eu também o agredia, mas a mulher, quando bate, não vai para a prisão."

Como eu disse anteriormente, Carol faz música com as coisas que acontecem na vida dela. E a música "Jorginho me empresta a 12" faz referência a esse episódio. 

Notavelmente, Mc Carol se tornou a primeira ring girl plus size no evento de MMA Favela Kombat. Beneficente, a noitada de lutas foi realizada na favela da Rocinha contando com jovens lutadores e ainda arrecadou cerca de 2 mil quilos de alimentos para a caridade.

Recentemente, MC Carol lançou uma música em que questiona o descobrimento do Brasil. Em "Não Foi Cabral", música sem termos de baixo calão, ela diz que a professora está errada ao dizer que Cabral descobriu o Brasil e que tudo aqui já pertencia aos índios. Ainda faz referência à matança, escravidão e catequese dos mesmos.


Todo o peso de MC Carol pode ser visto no reality em forma de irreverência, a niteroiense foi a rainha dos memes do reality.










No vídeo de apresentação da funkeira para o reality, ela corrobora tudo isso que falei. Você pode conferir aqui.

Se liga no mantra: "NINGUÉM VAI TIRAR ONDA COM A MINHA CARA E SÓ FALA DA MINHA VIDA QUANDO A SUA FOR EXEMPLO."



Juntas, durante o reality, Karol Ka e MC Carol gravaram o clipe da música Vou Te Ensinar.


Nossa, que maratona! Tudo isso pra no final, as 6 funkeiras mais amadas desse Brasil se unirem no clipe de "Mulheres de Sorte". (Lucky Ladies em PT-BR, sacou?)





Com certeza, Lucky Ladies foi um marco televisivo brasileiro. Nenhum reality foi tão capaz de capturar a imagem e o dia-a-dia de um leque de artistas que muitos se recusam a reconhecer que existe. É claro que eu já tenho meu ranking:


1. Tati Quebra Castelo - de tão rainha que é.

2. Carol Bandida do meu S2 - só não está em primeiro porque chegou agora.
3. Contra Filé - pá, peito e acém.
4. Sabrinão - já passou por tanta coisa na vida que tem minha admiração. (ih, rimou)
5. Karol Kagona - foi do gospel ao funk, daqui a pouco tá no sertanejo.
6. Mari (Frutas) Silvestre(s) - como cantora é ótima modelo.


E você, qual seu ranking? Conta pra mim nos comentários!



Até semana que vem! :)



Obs: Créditos dos memes: página Unlucky Ladies no Facebook. I do not own any of the rights. 

Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no TwitterAssine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter
Comentários
0 Comentários

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário