0 Tapete Vermelho: Especial Rock In Rio PT. II



Olá pessoal!

Hoje vamos dar continuidade ao nosso Especial Rock In Rio! 

O primeiro post do especial já saiu tem alguns dias e, se você ainda não conferiu, clica aqui! Lá eu explico como o Adam Lambert conheceu o Queen; porque Ryan Tedder, vocalista do OneRepublic, passou fome para formar a banda; e como Rod Stewart ainda se mantém como ícone do pop rock romântico mesmo depois de 50 anos de carreira.

Essa semana, vamos resgatar dois artistas que se apresentaram no último domingo, dia 20, e vamos falar de uma banda que se apresenta hoje no Rock In Rio e não produz material novo há quase 10 anos, mas que continua fazendo um belo de um som!




ELTON JOHN



Não há parâmetros para definir o talento e a personalidade de Sir Elton John. Nascido Reginald Kenneth Dwight em Londres em 25 de março de 1947, é cantor, compositor, ator , pianista, músico e produtor musical. O cara é o pacote completo, mesmo com 50 anos de carreira. Possui 35 discos de ouro e 25 discos de platina, já vendeu mais de 450 milhões de discos em todo o mundo, e detém o single mais vendido de todos os tempos, a música Candle In The Wind, sendo apontado como um dos maiores hit makers do século XX. E, acredite se quiser, mas o cara já fez mais de 3500 shows ao redor do mundo. Acho que eu nem sei contar até lá! (Desculpa gente, sou de humanas).

Seu nome artístico advém de dois integrantes de sua antiga banda de adolescente, Bluesology, Elton Dean (saxofonista) e Long John Baldry (líder da banda). 

A carreira de Elton John atravessa a quarta década de ininterrupto sucesso. Nos anos setenta, a época que muitos consideram como sendo o auge da sua carreira (foi considerado o segundo artista mais importante dessa década, superado apenas por Paul McCartney), já podia ser considerado como um dos maiores cantores de rock do planeta.



Mais do que merecido, a canção Candle In The Wind alcançou 3 vezes o topo das paradas de sucesso. Lançada originalmente em 1973 em homeagem a Marilyn Monroe, chegou em 11° lugar nas paradas Britânicas. Em 1986, Elton john cantou em um concerto na Austrália. No ano seguinte, foi lançado um CD ao vivo e a música chegou em 5° lugar nas paradas Britânicas. Em 1997, após a morte da Princesa Diana, pediram a Elton que tocasse algo no show. Seu letrista Bernie Taupin, sem tempo de pensar em algo, acabou reescrevendo Candle In The Wind, resultado: 1° lugar no mundo todo, com transmissão ao vivo em diversos países. No mesmo ano obteve o record de Single mais vendido da história. Sou bonzinho e catei o link da música no concerto da Austrália pra vocês! :) Você pode ouvir aqui.

Elton John é homossexual assumido e vive com o companheiro David Furnish há 21 anos. O músico britânico e o cineasta canadense já haviam se unido no civil em 2005, mas resolveram se casar depois que a Inglaterra aprovou o casamento entre pessoas do mesmo sexo, em março de 2014. O casamento aconteceu em dezembro do mesmo ano. Mais amplo, além de garantir direitos como o acesso à herança do parceiro, da mesma forma que a união civil, o casamento possibilita que os noivos troquem de sobrenome, por exemplo. O casal tem dois filhos nascidos de uma barriga de aluguel: Zachary, de 3 anos, e Elijah, de 1 ano e 11 meses.



No palco, John e seu piano são duas máquinas de fazer música boa funcionando em perfeita sincronia. O cantor também é conhecido pelos seus duetos, são mais de 70, com artistas de vários estilos. Já fez dueto com Elvis Presley, Queen, Rihanna, RuPaul, Lady Gaga, BackStreet Boys, Janet Jackson, Axl Rose e muuuuuitos outros.


A primeira vez que Elton esteve no Brasil foi no ano de 1978, para passar o carnaval, junto com os amigos Rod Stewart e Peter Frampton. Não houve espetáculos durante a sua estadia.


A segunda vez foi durante a turnê do álbum Made In England, em 1995, quando se apresentou tanto em São Paulo quanto no Rio de Janeiro. 

Em Fevereiro de 2007 chegou a ter um show grátis confirmado, que aconteceria na Praia de Copacabana, e seria nos mesmos moldes do show dos Rolling Stones de 2006. Porém, depois de diversas informações desencontradas e o adiamento, por fim o show acabou cancelado. Especulações levam a crer que houve desistência de patrocinadores.

Em janeiro de 2009 ele retornou ao Brasil, com o show baseado em sua turnê Rocket Man, de 2007, e passou pelas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Quem fez a abertura dos shows foi o também cantor pop britânico James Blunt. No dia 15 de janeiro houve um show particular para o patrocinador, o Banco Cruzeiro do Sul, e seus convidados na Sala São Paulo, na capital paulista, com lotação limitada a mil pessoas.

Tocou o dia 23 de setembro de 2011 na cidade do Rio de Janeiro na abertura do Rock in Rio.

Veio profissionalmente o Brasil pela quarta vez em fevereiro e março de 2013, para shows em São Paulo (transmitido pela Multishow), Porto Alegre, Brasilia, Belo Horizonte e Recife.

No Rock In Rio desse ano, Elton John achou sua turma no Rock in Rio. A dos veteranos. No show deste domingo, depois de Seal e antes de Rod Stewart, no Palco Mundo, o inglês ficou mais à vontade do que há quatro anos. Em 2011, ele cantou entre as novinhas Katy Perry e Rihanna. Cantou para os fãs delas. Não deu muito certo. Além disso, ele chegou atrasado e cortou o bis do show. Neste retorno, ele não deixou de fora Your song, seu primeiro hit. 

Todo de azul com brilhantes e uma inscrição "Fantastic" nas costas, Elton brilhava especialmente nos momentos sozinho ao piano, como no início de "Rocket man". O público curtia tranquilo, sem a histeria que se espera de uma noite "teen". Músicas mais soturnas, como Sorry Seems to Be the Hardest Word e Don't Let the Sun Go Down on Me funcionaram bem. "Toda vez que vamos ao Brasil temos a melhor experiência , então obrigado por todos esses anos de gentileza", elogiou Elton. Ele também foi generoso com o tempo: o show estava programado para durar uma hora e quinze minutos e durou cerca de vinte minutos a mais que o esperado. Isso porque, dessa vez, ele chegou na hora.







JOHN LEGEND


Charmoso, bonito, carismático, recatado, apaixonante. Não faltam palavras para descrever o estilo "come quieto" de John Legend. O cantor se apodera de uma guitarra e na primeira nota você já tem vontade de se achegar naquele alguém especial pra dançar juntinho.

John Roger Stephens, o capricorniano nascido em Springfield, Ohio em 28 de dezembro de 1978 é um cantor, compositor e produtor. Ele estava meio esquecido do público, mas voltou à mídia esse ano por vencer o Oscar na categoria de Melhor Canção Original pela canção Glory para o filme "Selma - Uma Luta Pela Igualdade", que versa sobre a história da luta do movimento negro, liderada por Martin Luther King, nos Estados Unidos.

John é formado em Letras-Inglês, com especialização em literatura afro-americana na Universidade da Pensilvânia. Na faculdade, participou de um grupo de jazz chamado Counterparts. Foi apresentado à cantora Lauryn Hill, e tocou piano na faixa Everything Is Everything do primeiro álbum solo da cantora. Terminou a faculdade em 1999 e começou a compor suas próprias músicas e gravou dois álbuns independentes que eram vendidos em suas apresentações: "John Stephens" (2000) e "Live at Jimmy Uptown (2001). Ainda fez partipações em álbuns de cantores como Alicia Keys e Jay-Z.

Participou do grupo Outkast nos meados de 2005, Ele também colaborou com Slum Village na música Selfish (Top 100 nos EUA), música que Kanye West também participa. Legend participou do CD Late Orchestration de Kanye West, tocando piano ao vivo em Londres. Fez backing vocal em Encore de Jay-z, You Don't Know My Name da Alicia Keys , High Road do Fort Minor. 

Em 2005 cantou o clássico With You I'm Born Again com Mariah Carey no especial Save The Music. Seu irmão Vaughn Anthony também é cantor.Também participou do álbum How I Got Over (2010) do grupo de rap americano The Roots.

Em Dezembro de 2011 começou a namorar a modelo Chrissy Teigen. Eles se casaram no dia 14 de setembro de 2013, em Como, Itália. A música All Of Me foi escrita especialmente para sua esposa.


No Rock In Rio desse ano, ele fechou as apresentações do Palco Sunset no último domingo.

Com muita gente sentada nas proximidades do espaço secundário de shows, tudo só engrenou a partir de "Green light", oitava música da apresentação do cantor americano de 36 anos e quatro discos lançados.

Legend tem seus momentos piano, voz e suor (Ordinary People, por exemplo), mas quase sempre é escudado por uma boa banda.

Baixista, trompetista e saxofonista ajudam a dar aquele tom sensual (ui!) que um show de pop soul apaixonado pede. 

O final representa o que há de melhor no cancioneiro romântico de elevador. É tudo tão suave que chega a afugentar um ou outro ouvinte mais exigente. Chega a ser uma covardia com casais tocar Lay me Down, You & I e All of Me na sequência. Haja coração.

A última da noite foi "Glory".

Românticos também podem ser engajados, veja bem.







SYSTEM OF A DOWN


Anos de carreira, inúmeras críticas políticas, mil instrumentos no palco e influências até do Jazz compõem a bela mistura que é System of a Down, que fecha o 4º dia do festival, nessa quinta feira, e é perfeita pra quem gosta de rock pesado, mas que não chega a ser metal.

System of a Down (às vezes abreviado por SOAD ou System) nasceu em Glendale, Califórnia em 1992. É composta por Serj Tankian (vocais e teclados), Daron Malakian (guitarra, vocais), Shavo Odadjian (baixo) e John Dolmayan (bateria). O grupo é conhecido pelas letras de suas músicas, que possuem carga política pesada, o que trouxe fama ao grupo. Quando eu disse que eles usam mil instrumentos, não era brincadeira. Os integrantes são multi talentosos e utilizam grande variedade de instrumentos, incluindo guitarra barítona, mandolins elétricos, cítaras, violões de doze cordas entre outros instrumentos orientais.

Suas principais influências são as bandas mais antigas de Rock alternativo, como a canadense Nomeansno e, principalmente, Faith No More, no qual muitas músicas tem um estilo vocal e andamento/peso parecidos, o que indiretamente também os levou a terem influências do Heavy metal, Punk rock, Jazz, Fusion, música folk da Armênia, Rock, Rock clássico, Blues e Industrial.

A banda alcançou enorme sucesso comercial com o lançamento de cinco álbuns de estúdio, dos quais três estrearam no número um da Billboard 200. Além disso, o grupo já foi indicado para quatro Grammy Awards, e sua canção B.Y.O.B. (Bring Your Own Bombs) venceu o prêmio de Melhor Performance de Hard Rock em 2006.

A fase dourada do SOAD surge após o lançamento do álbum Toxicity, que estreou em primeiro lugar na Billboard, em 2001, e atingiu o topo das paradas no Canadá, inclusive na semana dos ataques de 11 de setembro de 2001 em Nova York. Permaneceu ainda assim no topo na semana dos ataques, embora sob fortes críticas políticas sobre o controverso single Chop Suey! que foi banido das rádios americanas devido à sua letra, pois tinha uma grande semelhança aos ataques que aconteceram. A canção, mesmo com a polêmica, foi indicada ao Grammy. Também em 2001 banda entra em uma multiturnê, chamada de Pledge of Alligeance, com Slipknot, Rammstein, Mudvayne, American Head Charge e No One, para promover o álbum Toxicity.

Em 2002, SOAD lançou o álbum Steal This Album!, cujo grande destaque foi a canção Boom!, cujo vídeo gravado em 2003, representava um protesto contra a guerra do Iraque feita pelos Estados Unidos, mostrando protestos contra a guerra em todo mundo, inclusive no Rio de Janeiro e São Paulo. Deu pra perceber que a galera gosta de alfinetar as atitudes dos EUA né?

Em 2006, a banda entrou em hiato por tempo indeterminado, mas eles sinalizaram que não era o fim da banda, apenas um tempo para que os integrantes pudessem focar um pouco mais nas suas vidas pessoais e em outros projetos.  Daron disse numa entrevista a MTV: "Não vamos acabar. Se esse fosse o caso não teriamos feito o [show no festival] Ozzfest. Após o Ozzfest, vamos fazer uma longa pausa e realizar os nossos próprios projetos. Como banda, temos estado juntos há mais de 10 anos, e eu penso que uma pausa seria algo saudável."

Durante o hiato cada um seguiu seu próprio projeto. Serj Tankian já fazia diversos poemas, sobre guerras, genocídio armênio. E como ele ganhou bastante tempo para seus projetos, decidiu lançar seu primeiro álbum solo em 2007, Elect The Dead, pela via Serjical Strike/Reprise Records, tinha vários singles como Empty Walls, Sky Is Over e Baby. Graças à sua voz poderosa, está em 26º na lista "Os 100 Melhores Vocalistas de Heavy Metal de Todos os Tempos", segundo a revista estadunidense Hit Parade, fez diversos shows pelo país, e mesmo depois da volta do SOAD, ele voltou a fazer novos singles e lançou dois novos álbuns solo.

Daron Malakian aproveitou o hiato para voltar a fazer seu projeto Scars On Broadway dessa vez junto á Dominic Cifarelli, Danny Shamoun, Jules Pampena e o baterista do SOAD John Dolmayan. Eles gravaram alguns singles em 2007 e lançaram-os em 2008 no primeiro álbum da banda Scars On Brodway. A banda fez diversos shows.

Shavo Odadjian seguiu sua carreira como DJ na banda de rap/hiphop Achozen, mas nenhum álbum foi lançado.

John Dolmayan ajudou Serj com alguns toques de bateria no seu álbum Elect the Dead, e foi baterista do Scars on Broadway no período 2007 a 2011. Em 2009, John participou de uma audição de testes para baterista do Smashing Pumpkins, porém ele não entrou na banda. Depois disso formou uma banda chamada "Indicator" que realizou apenas alguns shows e não lançou nenhuma música em versão de estúdio, apenas alguns vídeos gravados durantes as apresentações

O retorno do SOAD se deu em 29 de novembro de 2010. O retorno foi anunciado por meio de sua página oficial na Internet e os integrantes acabaram embarcando numa turnê mundial para o ano seguinte. Em 2011, apresentaram-se no último dia do Rock in Rio. No dia 24 de abril de 2015, a banda fez um show especial em lembrança aos 100 anos dos eventos do Genocídio Armênio em Erevan e que contou com mais de 50.000 pessoas, o show foi aberto ao público e transmitido pela internet. Este show foi o primeiro concerto da banda na Armênia. Ou seja, a banda está há quase 10 anos sem lançar nada e mesmo assim consegue lotar vários shows.



E fiquem ligados porque semana que vem o Rock In Rio termina e ainda tem mais uma postagem sobre ele vindo por aí!

Até mais!


0 Tapete Vermelho: Especial Rock In Rio PT. I

Olá pessoal!

Como todos sabem na última sexta feira teve início o aguardado Rock In Rio desse ano!



Em 2015, o festival completa 30 anos e traz atrações clássicas que marcaram a história do festival desde os seus primórdios como Queen e Rod Stewart, mas também traz atrações novas que fizeram muito sucesso em edições anteriores como Rihanna e Katy Perry.

Line-Up do primeiro Rock In Rio em 1985.

O Especial Rock In Rio aqui na coluna vai trazer um pouquinho da vida e trajetórias de algumas das atrações mais marcantes do festival. Começando com os destaques do dia 18, a banda Queen + Adam Lambert e OneRepublic. (Mas antes, uma imagem da reboladinha do Ney Matogrosso ao abrir o festival, como fez em 1985:)







QUEEN + ADAM LAMBERT























Todo mundo já fez aquela batidinha na mesa ao ritmo de We Will Rock You. Todo mundo, em algum momento da vida já citou We Are The Champions ao realizar um feito na vida. Queen deixou sua marca dificilmente apagável da memória de qualquer pessoa ao redor do mundo. Os acordes incríveis do guitarrista Brian May, do baterista Roger Taylor, do baixista John Deacon, alinhados à voz e personalidade poderosas de Freddie Mercury fizeram da banda uma referência no mundo do rock.

Com o falecimento de Freddie Mercury devido à deterioração pela AIDS em 1991, as estruturas do grupo ficaram comprometidas. John Deacon afastou-se dos palcos e dos holofotes e até hoje prefere se manter no anonimato. Os outros dois continuaram fazendo shows menores e formulando parcerias, como a Queen + Paul Rodgers, que rendeu muitas críticas à formação e trouxe resultados mais negativos que positivos.

E onde é que Adam Lambert entra na brincadeira?

Bom, Lambert foi participante da oitava edição do American Idol, em 2009, e era fã declarado do Queen. Brian May e Roger Taylor apareceram como convidados e se apresentaram com Lambert. Nesta performance, Lambert e o eventual vencedor, Kris Allen, cantaram "We Are the Champions", juntamente com a banda e os outros integrantes que foram eliminados durante o programa. 

Logo após o final, Brian May insinuou à revista Rolling Stone que ele estava considerando Lambert como um frontman para um supergrupo a partir do Queen. May revelou mais tarde que ele ficou interessado em Lambert como um substituto para Paul Rodgers depois de assistir a um vídeo de audição de Lambert para American Idol, onde ele cantou "Bohemian Rhapsody".

Voz linda, tatuado, abertamente gay, rebelde, Lambert tinha aquela atitude maior que a vida, que você não conseguia pegar nas mãos. Parecia um "mini" Freddie Mercury mesmo, versão 2.0.

Em novembro de 2011, Adam Lambert se juntou a Brian e Roger para uma performance especial no MTV Europe Awards em Belfast, onde Queen recebeu o prêmio de Ícone Global. Em seguida no mesmo ano, foi relatado que, em dezembro, May e Taylor tinham começado discussões com Lambert para ele se tornasse front-man do Queen em concertos. 


Em 2012, eles saíram pela Europa na Queen + Adam Lambert Tour 2012, inaugurando a série de colaborações entre os dois membros ativos do Queen e Adam.



A turnê começou em Junho de 2012 na Praça da Independência de Kiev, um show conjunto com Elton John no auxílio da Fundação ANTI AIDS de Elena Pinchuk. Na sequência do concerto de Kiev, o grupo estava pronto para tocar uma série de datas no festival "UK Sonisphere Festival", porém, o festival foi cancelado. Devido às datas canceladas, o grupo resolveu realizar então três concertos no Hammersmith Apollo de Londres para encerrar a turnê. Todos os shows foram considerados sucessos pela bilheteria esgotada.




Em 2014, Queen + Adam Lambert saiu em turnê novamente, dessa vez, uma turnê mundial. Seguindo em sua turnê 2012 e sua aparição no iHeartRadio Music Festival 2013, a banda anunciou uma turnê da América do Norte de 2014. De acordo com a Pollstar, a turnê da América do Norte e Oceania arrecadou 37 milhões de dólares, classificando-os número 35 no top 100 concertos em todo o mundo em 2014. Na sequência do enorme sucesso de sua turnê norte-americana, a turnê foi ampliada para Austrália, Nova Zelândia e na Ásia, a Europa e na América do Sul em 2015. As turnês têm contado com Spike Edney, também na guitarra, Neil Fairclough, nos baixos e Rufus Taylor, filho de Roger Taylor, nos teclados.

Assim, como na primeira edição do Rock In Rio, Queen fechou a noite do primeiro dia. O show fez parte da última turnê que mencionei. Houve muitas críticas, principalmente ao estilo de Lambert, que muitos afirmam não chegar aos pés de Freddie. Além disso acham as críticas dizem que ele é "exagerado demais". Outros, um pouco sem noção, criticam o fato de ele ser abertamente gay, sendo que o próprio Freddie Mercury era assumido. Porém, os elogios também vêm de todos os lugares. Muitos elogiam o talento, a presença de palco e o poderoso tom de voz de Adam. O próprio Brian May já admitiu em entrevista que a parceria com Lambert trouxe muito mais resultados positivos do que negativos e que, possivelmente, com o fim dessa turnê, o Queen poderá não realizar mais shows. A idade chega para todos, né, e Brian e Roger, já chegando na casa dos 70 anos e perdendo energia, tom de voz e disposição para shows, podem pendurar as paletas em breve.






ONEREPUBLIC




Seria reducionismo demais chamá-los de boy band. Os ingredientes todos estão lá. Canções de amor com forte apelo adolescente, jovens bonitos e garotas emocionadas na plateia. Mas o OneRepublic, que tocou no Rock in Rio também no dia 18 logo antes de Queen + Adam Lambert, chegou nas asas de um líder e vocalista de carisma e competência absurdas. Ryan Tedder, jovem produtor que lutou para erguer seu grupo nos Estados Unidos em 2002, fez com que a banda alcançasse grande sucesso no MySpace, tornando-se o ato mais importante do site naquele momento.

Visionário precoce que vendeu tudo o que tinha para se tornar músico, Tedder coloca sua mão em todos os detalhes. Gosta de trabalhar o virtuosismo de seus músicos, pensa fora da caixinha para montar um show.

OneRepublic é uma típica banda americana do Colorado e fez história nas rádios quando com seu primeiro single, "Apologize", que, em 2007, recebeu a maior quantidade de airplays da história nos Estados Unidos, tocando 10.331 vezes em uma semana, tendo seu recorde quebrado por Bleeding Love de Leona Lewis (canção foi escrita e produzida por Tedder), Poker Face de Lady Gaga e California Gurls de Katy Perry. O remix de Timbaland para a música impulsionou ainda mais o sucesso da mesma, o que gerou o altíssimo número de airplays.

A banda voltou ao top 10 da Billboard apenas mais recentemente, com Counting Stars, terceiro single do album Native. A canção alcançou o Top 10 de mais de 40 países e vendeu mais de 5 milhões apenas nos Estados Unidos.

A banda deu certo devido a um incrível esforço de Tedder. Ao vencer um concurso de música local, ele ganhou um contrato com uma gravadora pequena e através de um amigo em comum, conheceu o produtor Timbaland, que foi seu mentor durante muito tempo em que passou compondo músicas para Natasha Bedingfield, Leona Lewis e Jennifez Lopez. Isso tudo por volta de 2000. Em 2002, ele retornou ao Colorado e reencontrou um amigo de infância, o hoje baterista da banda Zach Filkins. Eles queriam formar uma banda, mas não possuíam contatos. Foi quando decidiram se mudar para Los Angeles e sair batendo na porta de quem poderia aceitar integrar a banda. A procura não foi fácil, chegaram a passar fome algumas vezes. Depois de uma intensa busca, eles conheceram Drew Brown, atual guitarrista, Brent Kutzle, atual baixista e Eddie Fisher, atual baterista.

Tendo consolidado OneRepublic, eles conseguiram assinar um contrato com uma empresa multinacional, mas não funcionou, por muitas razões e foram desmotivados, relegados a uma espécie de limbo. "Depois de todo o tempo que tinha tomado para chegar onde estávamos nós nos sentimos deflacionados pelas minhas velas", diz Tedder. "Não tínhamos certeza, mas eles queriam continuar com o grupo". Porém sua página no MySpace começou a receber milhares de acessos, tornando-os a banda mais importante do website. "Talvez o clima de música mudou", disse Filkins. "De repente, começamos a receber e-mails de jovens que nos disseram que através da nossa músicas não tinham sido mortos, ou tinham sido capazes de lidar com o divórcio de seus pais. Finalmente conseguimos nos conectar com o público. E dissemos 'agora não podemos parar'".

A partir daí, os contratos brotaram do chão. Desde 2007, já são 3 álbuns e várias indicações ao Grammy, porém nunca levaram o gramofone dourado pra casa. Atualmente, Tedder terceiriza seu talento ao também escrever músicas para Taylor Swift, Madonna, Adele, Beyoncé e Maroon 5. Há quem o chame de "Jay-Z branco". A revista Billboard preferiu classificá-lo como "o rei desconhecido do pop".


No show do atual Rock In Rio, de tudo que ele fez, marcou seus fãs na Cidade do Rock com o primeiro grande hit, Apologize, e desfilou Secret, Stop and Stare, Something I Need e, claro, Counting Stars. Com muitos gritos em falsete (Débora, amiga da Mc Melody curtiu isso), Ryan conseguiu empolgar sem forçar uma performance "pavão" como a de Adam Lambert seria. Ele opta pelo bom-mocismo e isso agradou muito o público, tanto o jovem que se empolgou em coro nas canções, quanto os mais velhos que claramente só estavam ali para ver o Queen.






ROD STEWART

Rod Stewart fechou a noite de ontem, terceiro dia de Rock In Rio, com seu pop rock romântico ao lado de Elton John. Foi o dia perfeito pra quem curte esse estilo e quis curtir em família.



Um também veterano do Rock In Rio (curiosamente, também fechou a terceira noite da edição de 1985), Roderick David Stewart completou 70 anos em 10 de janeiro desse ano, nasceu em Highgate, Londres e tem ascendência escocesa.


Conhecido por sua voz áspera e rouca, Rod Stewart começou a ficar conhecido no final dos anos 60 quando participou da Jeff Beck Group e depois juntou-se ao The Faces, iniciando paralelamente sua carreira solo que já dura cinco décadas.



Ao longo de sua carreira, Rod atingiu várias vezes as paradas de sucesso, principalmente no Reino Unido, onde ele atingiu o primeiro lugar 24 vezes ficou entre o top 10 e seis vezes em #1 entre as músicas mais executadas, e 9 vezes em #1 em nível mundial. Rod Stewart já vendeu 265 milhões de álbuns desde o início de sua carreira. Tem hits como: Maggie May, Do Ya Think I'm Sexy? , I Don't Want to Talk About It, Sailing, Young Turks, Baby Jane, Have I Told You Lately, Tonight The Night, The First Cut Is The Deepest, You're in My Heart, Rhythm of My Heart, Forever Young, Downtown Train, Hot Legs, Passion, Some Guys Have All The Luck, Tonight I'm Yours (Don't Hurt me), People Get Ready, Every Beat Of My Heart, My Heart Can´t Tell You No e "It's Over".


Rod é o 23º na lista de melhores artistas da história e 17º na de mais bem sucedidos de todos os tempos. Com 2 Grammy vencidos, se tornou uma das figuras mais irreverentes do mundo. Sua canção mais vendida foi o hit Do Ya Think I'm Sexy?, de 1978, que atingiu o número 1 em praticamente todos os países e vendeu mais de 4 milhões em todo o mundo. E acredite se quiser, Rod tem mais de 25 álbuns entre gravações e regravações.

Eu pessoalmente não conhecia muito do trabalho dele, assim como muita gente da minha geração e tive que consultar meus pais e avós para poder ter algumas referências pessoais dele. HAHAHAH Decidi buscar mais sobre a música dele e o som dele é justamente aquele rockzinho romântico que você você coloca ao fundo enquanto lê um livro, ou enquanto está deitado numa rede relaxando. O sucesso do cara é explicado pelo talento e voz singlurares. E acredita que antes de fazer sucesso, Rod Stewart era coveiro? SIM! HAHAHHA Infelizmente não achei alguma foto boa desse momento da vida dele.

Rod Stewart casou-se três vezes e teve oito filhos.

Ele é grande fã de futebol e torce para o clube escocês Celtic Football Club, tendo inclusive sido apanhado a chorar compulsivamente quando da vitória deste clube contra o Barcelona, por 2-1, em jogo a contar para a fase de grupos da Champions League de 2012-13. Na Inglaterra, ele prefere o Manchester United. No show que realizou em Curitiba na última quinta, 17, na Arena da Baixada, recebeu de presente uma camisa do Atlético-PR. Por causa de sua paixão pelo futebol, e sua amizade com os ex-craques Paulo Cesar Caju e Marinho Chagas, nos anos 70 o cantor declarou o seu amor pelo Rio de Janeiro e pelo Fluminense Futebol Clube, que na época possuía um time de grandes jogadores como Rivelino, Dirceu, Doval, Paulo Cesar, Carlos Alberto Torres e onde posteriormente jogou Marinho Chagas.

Em 2004 recebeu uma estrela com seu nome na Calçada da Fama.

Em 2006 recebeu o título de Comandante do Império Britânico pela rainha Elizabeth II. Ele disse que estava muito feliz com o prêmio, quando recebeu a notícia em sua casa em Palm Springs, na California.

Rod Stewart já é um velho conhecido do Rio por fazer um show em 1994 na praia de Copacabana para 3,5 milhões de pessoas durante a comemoração do ano novo, um recorde histórico.



E fiquem ligados que essa semana ainda tem a parte II do Especial Rock In Rio!

Até mais! :)















0 Projeto Poupa Laís - 4º Mês








Queria começar esse post da forma mais deprimida possível.

Gente, socorro! Deu tudo errado esse mês!

E não foi comprando besteiras e “coisas bonitas”. Sim, eu comprei, de fato, dois ingressos de show e um notebook, mas o baque foi pior do que eu pensava... Mas, não teve jeito! A pior parte foi a comida.

Por que a comida tá tão cara? 


Isso não é verdade!


Sim, eu sei que está tudo estranho, mas a culpa é muito mais da minha falta de controle e de um grande defeito chamado preguiça.

Vou explicar todo o meu drama: a verdade é que eu sou chata pra C%$*@lho pra comer. Mesmo.

E, se eu for num lugar que eu não curta muito o tempero ou a cara da comida, eu simplesmente não consigo comer. Jogo quase a comida toda fora. Então, eu sou bem chata e meio restritiva pra escolher lugares pra almoçar. Só que esses lugares não são tão baratos.

Aí já era.

Almoço por menos de R$ 25,00 tá difícil até quando vou almoçar no quilo por motivos de FOME. E por que uma garrafinha de água mineral custa tipo 5 reais em restaurante?!

No jantar, foi um inferno astral também. Cadê vontade, força, foco e fé pra ir no mercado, cozinhar, lavar a louça? E eu ainda fiquei doente com dor de garganta e ouvido, então parece que fica tudo mais difícil.


Cadê?


Agora, acompanhe cenas reais da minha conversa no whats app com a minha mãe sobre a fatura do cartão de crédito:

O ministério da saúde adverte: cenas fortes! 
recomendamos tirar crianças e idosos da sala

***

“Não sei oq vou fazer”

“Vou ter que quebrar esse cartão”

“Tenho vontade de me matar qnd vejo isso”

“Não aguento mais”

“Quero chorar”

“Vou quebrar esse cartão”

“Vou ter que dar um jeito de viver sem ele”

“Não dá mais”

“Mas eu tenho muita fome” (essa foi minha favorita! Hahaha)

“Tô muito chateada”

“Quero desaparecer”

“Nunca mais vou ter cartão de crédito”


***

Sim, senhoras e senhores, todas essas belas frases foram ditas por mim nesse momento de desespero típico de novela mexicana.

Não sei mais o que dizer, só sentir.

Tudo desmoronou..............




Mas como eu me recomponho a partir dos choques, ontem fui ao mercado comprar comida pra fazer em casa. E veremos quais serão os próximos capítulos.

Agora, um resumo rápido das outras metas:

Eu não comprei nenhum livro!
Não comprei nenhum material de papelaria!
Não comprei nenhum item de maquiagem!
Não comprei nenhuma roupa, sapato ou acessório!
Não fui ao cinema nenhuma vez!
Não anotei meus gastos também (porque eu me chamo Laís).


Tá muito difícil, meu povo!

Espero voltar no próximo mês com notícias melhores.

Torçam por mim!


Boa sorte!


0 Tapete Vermelho: Chris Pratt



Olá pessoal!


Quero anunciar que o Books, Brownies and Beyond dessa semana está infectado! Infectado pela beleza, talento e carisma de um ator por quem a gente morre de amores. O homenageado dessa semana é o ator norte-americano Chris Pratt.





Bonitão, carismático, divertido, já foi chamado até de "Jennifer Lawrence de calças". Não faltam adjetivos para que Chris Pratt seja apontado como um dos queridinhos de Hollywood. Com apenas 36 aninhos, o canceriano nascido em Minnesota, Virginia, em 21 de junho de 1979, coleciona uma vasta lista de participações em filmes e seriados de TV, sendo sua participação mais recente como protagonista do filme Jurassic World, que, aliás, lhe rendeu o prêmio de Guy of The Year na premiação Guys Choice Awards.

Christopher Michael Pratt nasceu em Minnesota, mas foi criado em Lake Stevens, em Washington. Sua mãe, Kathleen, trabalhava num supermercado, e seu pai, Daniel, que faleceu em 2014, foi minerador de ouro e restaurador de casas. 

Chris era popular no colégio e se dava bem com todos os grupos, desde os atletas até os nerds e os bagunceiros. Após se formar ele produziu e narrou um documentário sobre a equipe de luta da escola. O documentário, chamado On the Mat (No Tapete), estreou no festival de filmes da ESPN e foi exibido na MTV.

Chris, antes da sua carreira de ator, não sabia o que queria fazer da vida e estava sempre trocando de emprego. Na casa dos 20 anos, um amigo lhe presenteou com uma passagem de avião para Chris ir ao Havaí. O ator gostou tanto do lugar que resolveu ficar por lá mesmo e passou a trabalhar como garçom no restaurante Bubba Gump Shrimp Company. O restaurante, inclusive, foi inspirado no filme Forrest Gump. Pratt sempre foi considerado um funcionário bem humorado e alegre, pois costumava fazer piadas e comentários divertidos com todos, até com clientes. Sua vida mudou quando, ao servir uma mesa, impressionou uma das clientes com seu senso de humor. Essa cliente era a atriz e diretora canadense Rae Dawn Chong, que lhe convidou a para integrar o elenco do curta de terror + comédia Cursed PT. III, dirigido pela própria, em 2000.

Pratt é o bonitão de de camiseta lá atrás. Rae Down Chong é a moça à direita.

Pratt é um velho conhecido de quem ama séries de TV. Já esteve em Parks and Recreation, em 2009, ao lado de Amy Pohler. Seu personagem em Parks and Recreation, Andy Dwyer, era para ter participado de poucos capítulos iniciais, mas a resposta foi muito positiva. Por esse papel, recebeu o apelido de "Jennifer Lawrence de calças". 

Mas seus papeis de destaque em seriados foi em Everwood, em 2002, onde interpretou Bright Abbott e em The O.C. no qual, na quarta temporada, em 2006, interpretou o ativista Che Cook. Também fez participação em um episódio da série The Huntress, em 2000, e cedeu sua voz para os personagens Jake e Cooper Daniels nas animações The Batman (2008) e Ben 10: Ultimate Alien (2010), respectivamente.



Em Everwood, seu papel era o de valentão da escola odiado por todo mundo, mas conquistou o mundo com seu jeito fofo e carisma singular. Durante as gravações, o ator se envolveu com a atriz Emily VanCamp, protagonista da série Revenge. Na trama, os dois eram irmãos e Pratt admitiu em uma entrevista que era estranho namorar em casa "sua irmã de trabalho". "Levou 6 meses para nos acostumarmos com a situação." Os dois mantiveram o relacionamento escondido por um bom tempo e só assumiram o romance próximo ao término.




Por Everwood, Pratt foi indicado, em 2004 e 2005, na categoria Choice TV Sidekick do Teen Choice Awards, porém não levou o prêmio pra casa.

No cinema, Pratt coleciona mais de 25 filmes no currículo, entre coadjuvações e estrelatos, sendo os mais marcantes sua interpretação de Peter Quill em "Guardiões da Galáxia", filme de 2014, e o recente Jurassic World, no papel de Owen Brady.







Atualmente, Pratt é casado com Anna Faris (aquela loucona de "Todo Mundo em Pânico" e "Casa das Coelhinhas"). Gente, IMAGINA O QUÃO ENGRAÇADO DEVE SER ESSE CASAL!?!?! HAHAHHA Sério, deve ser muito bom ser filho deles, Jesus! Eles estão casados desde 2009 e Pratt já revelou que o que chama a atenção na esposa é o bom humor dela. "Ela é tão engraçada e isso é tão bom." Os dois se conheceram durante as gravações de Take me Home Tonight. Hoje, eles tem um filho de 3 anos, Jack Faris Pratt.





Antes de atuar em "Guardiões da Galáxia", Pratt estava pesando mais de 100 quilos. SIM! Chris teve que entrar em forma para poder ser escalado para o filme. Em seis meses, através de intensa musculação, crossfit, triathlon, dieta rica em proteína e corte na cervejinha, definiu o abdômen e ganhou massa muscular ao secar 27 quilos. O galã chegou a pesar 136 quilos em sua fase mais crítica. “As pessoas não me viam nesse tipo de papel. Nem eu tenho certeza se conseguia me ver nesse tipo de papel. Sempre achei que era muito gordo para ser um super-herói”, declarou o ator ao site australiano News. Também contou que Anna Faris prefere que ele seja mais cheinho mesmo, mostrando que o fato de ele ter sido gordinho não era um grande incômodo nem pra ele nem pra atriz. 

A alimentação adotada por Chris Pratt é similar à dieta paleolítica, que exclui o consumo de glúten, açúcar, laticínios, leguminosas e comidas processadas, além de reduzir significativamente a ingestão de carboidratos. O cardápio é baseado em proteínas animais de alta qualidade, gorduras saudáveis e vegetais sem amido. “Na verdade, eu perdi peso comendo mais, mas ingerindo a comida certa, saudável. Assim, quando eu terminei de gravar o filme, meu corpo não estava no estado de inanição”, relatou à People Magazine. 

Pratt afirma que mudou drasticamente seus hábitos alimentares e estilo de vida. “Eu tenho mais energia. Eu durmo melhor. Meu desejo sexual aumentou. O sangue está fluindo. Eu estou menos suscetível a impulsos. Estou em um modo diferente”, disse ao portal Esquire.

Além de manter a dieta balanceada, o ator realiza cerca de uma hora de exercício físico quatro vezes por semana.

O resultado a gente vê por aqui.



Chris, além de ator, é músico. Ele aparece em vários dos filmes e séries em que participa, tocando violão e cantando. Apesar de ter um estúdio em casa, ele ainda não gravou um álbum. Seus ídolos musicais são Elvis e Johnny Cash, e ele toca violão desde os 16 anos de idade.

Pratt é um cara tipicamente americano, daqueles que gosta de sair pra caçar e pescar nos finais de semana. 

Quando Chris conheceu Anna, ele comentou que, como gosta de caças e vive muito no mato, ele tem uma coleção de insetos mortos. Anna não acreditou pois ela também tem uma coleção dessas. Parecia destino os dois malucos se conhecerem, e hoje eles juntaram as duas coleções! 

O ator também é adepto à pratica do snowboard.

Falando em bichos, Chris é amante de animais de estimação e tem vários em casa, inlcuindo o lagarto Puff, os peixes dourados Pinky, Brain, Jowels, Pearl e Sandy, um peixe-oscar de nome Chef, dois pacus (quê?) e um sapo africano albino.

Chris é do tipo que faz o inusitado. Já alterou tom de voz ao ensaiar falar para divertir os atores durante uma gravação tensa, já apareceu nu em cena em que não deveria e vive postando foto de algumas de suas habilidades no Instagram, como fazer tranças. SIM HAHAHHA . Por isso, durante uma entrevista ao Entertainment Tonight, Chris foi desafiado pelo apresentador a mostrar se ele realmente sabia trançar um cabelo. E não é que ele leva jeito? Você pode ver o vídeo aqui. (Vídeo em inglês, sem legenda, bolsa FISK recomendável.)



Se Chris Pratt ainda não teve indicações ao Oscar, com certeza ele sabe chegar lá, afinal, esteve em filmes indicados ao Oscar de Melhor Filme nos últimos anos: "Ela", indicado em 2014, "A Hora Mais Escura", indicado em 2013 e "O Homem que Mudou o Jogo", indicado em 2012.

Mesmo assim, sabemos que o carisma e talento do ator são inigualáveis e sabemos também que não são Oscars que sempre fazem excelentes artistas! Que Chris Pratt possa ainda trilhar um glorioso caminho no mundo do cinema e que nunca perca essa jovialidade que sempre passou para nós!

Se estiver curioso sobre o que multitalentoso Chris Pratt anda fazendo, dá um olá nas redes sociais dele:

Facebook: /prattprattpratt
Instagram: @prattprattpratt
Twitter: @prattprattpratt
Fã site brasileiro: Chris Pratt Brasil: www.chrispratt.com.br

E fiquem ligados aqui no Books, Brownies and Beyond porque semana que vem tem especial Rock In Rio!

Até mais galera!

0 Especial Chá da Tarde - Onde Comprar?



Oi, gente!

Estamos chegando ao fim do Especial Chá da Tarde e não poderíamos estar mais felizes com o resultado. =)

Sim, tivemos bastante trabalho, mas ao mesmo tempo curtimos muito fazer esses posts em cooperação e dar dicas que podem inspirar você a testar algumas das receitas, arrumar uma mesa bonita e reunir sua família e seus amigos pra aproveitar tudo isso.

Como queremos te dar o passo-a-passo completo, resolvemos terminar o especial com esse post chamado 'onde comprar', que basicamente dá o caminho das pedras para você achar alguns dos elementos-chave pra fazer um chá bem legal na sua casa. Vamos lá?

Guardanapos

Os guardanapos de tecido, conforme contamos aqui, não são apenas mais bonitos, como também mais sustentáveis. Por serem de tecido, ao invés de papel, eles são duráveis (e não descartáveis) o que significa que eles podem durar muitos e muitos anos, se você cuidar bem deles. Imagina quantos guardanapos de papel você não utiliza em um ano? Quantas árvores podem ser poupadas se você decidir dar uma chance ao guardanapo de tecido, hein?

Estes três modelos são da Tok Stok (que tem mais uma variedade infinita de modelos). O de cor mais forte dá uma alegria na mesa e o estampado vai ficar lindo com uma toalha de cor lisa. Esse bege é bem suave e combinaria fácil com tudo.

1 - Guardanapo Clássico Tok Stok, por R$ 24,90.


Louça


 A louça é uma das partes mais importantes quando você pensa em "arrumação de mesa", mas eu admito que apanhei bastante nesta pesquisa. Acontece que o mais normal é que você encontre aparelhos só de 4 ou 6 xícaras ou então aparelhos de jantar que já vêm com as xícaras de chá. O que eu achei chato é que a maioria desses jogos não vêm com os bules e outras peças, mas isso também é uma oportunidade pra você comprar separadamente e ir combinando como preferir. 

Um outro problema é que, dependendo da loja, pode ser muito caro! Se você vai casar, coloca na sua lista de presentes que vale muito a pena! haha Brincadeiras à parte, a louça também é um item que, dependendo do cuidado que você tiver, pode durar a vida toda, então dividindo o valor por todos os anos que você pode usar, o investimento vale a pena.

Eu escolhi esses modelos diferenciados e fiquei apaixonada pelo número 2, que tem uma estampa muito tropical. Achei tão linda!

1 - Jogo de café World Importados, por R$ 169,90.
3 - Jogo de jantar Etna, por R$ 149,00.


Prato de doces


Os pratos de doces são uma gracinha! Os modelos variam bastante de preço e estilo. Aqui nós selecionamos alguns mais românticos porque eles combinam melhor com o resto da decoração, mas há algumas outras opções com menos cara de 'contos de fada' disponíveis no mercado.

2 - Prato de doces Submarino, por R$ 169,90.
3 - Prato de doces Ponto Frio, por R$ 209,00.


Vasos de flores
Os vasos podem variar muito também e tudo depende do tipo de arranjo de flores que você prefere. O ideal é escolher uma altura que não atrapalhe o campo de visão na sua mesa. Já imaginou que chato ficar tendo que se esgueirar pro lado toda vez que for falar com alguém que está atrás do vaso? 


Esses vasos podem ser usados em todas as ocasiões e podem até te inspirar a comprar umas flores na feira pra enfeitar sua casa nos fins de semana. Parece bobeira, mas dá uma alegria instantânea na casa!

1 - Vaso Oppa, por R$ 29,90.
2 - Vaso Carrara, por R$ 82,99.
3 - Vaso Etna, por R$ 69,99.


Chás



Deixamos por último as estrelas desse especial: os chás! Os três chás acima fazem parte da seleção de Top 5 chás e achamos que seria legal dizer onde você pode encontrar essas gostosuras.


Entre as indicações, incluímos a caixa de chás da Twinings que foi meu sonho de consumo por muito tempo e que, na minha opinião, vale muito a pena. Os chás ficam muito bem guardados e protegidos e não correm o risco de molhar ou ficarem úmidos (como às vezes acontece na caixinha de papel). E, além disso, eles deixam um perfume muito concentrado dentro da caixa. Parece que todo o sabor e o aroma ficam ali presos e não escapando pelo universo! haha

1 - Chá Alegra Chamana, por R$ 16,00.
2 - Chá Earl Grey Ahmad Tea, por R$ 23,90.
3 - Caixa de chás Twinings, por R$ 99,90.


Depois de todas essas dicas, esperamos que vocês se animem de fazer um chá desse tipo em casa. Estamos aqui a postos se quiserem tirar dúvidas nos comentários!

Tomara que vocês tenham curtido tanto quanto a gente!

Muitos beijos!