0 Resenha de livro - Para todos os garotos que já amei




Já fazia um tempinho que eu estava curiosa pra ler ‘To all the boys I loved before’ (‘Para todos os garotos que já amei’, em português). O livro, escrito por Jenny Han, foi lançado em 2014 e tem feito aparições na internet desde então e eu já vinha encontrando ele há algum tempo na prateleira de lançamentos da Saraiva.

O livro é narrado pela protagonista, Lara Jean, uma menina norte-americana de ascendência coreana, reservada, um pouco medrosa e muito apegada ao pai e suas duas irmãs, Katherine (mais nova) e Margot (mais velha). Quando a mãe das meninas morre, Margot acaba tomando o papel de “cuidadora” das irmãs e se torna uma referência principalmente para Lara Jean, algo que é tanto bom quanto ruim para a relação das duas.

A história gira em torno de dois grandes acontecimentos: o primeiro é a partida de Margot para a Escócia, onde ela vai fazer faculdade; o segundo é que Lara Jean descobre que 5 cartas antigas (ela tem o costume de encerrar seus relacionamentos platônicos com cartas de despedida que ela guarda em uma caixa de chapéu) acabaram sendo enviadas por engano e ela tem que lidar diretamente com cada um dos garotos para quem ela havia escrito.

Meu caso de amor com esse livro não foi à primeira vista. Eu comecei a ler o livro empolgada e com muita expectativa, mas logo fui ficando meio desapontada. Como vinha lendo livros com personagens femininas com grandes dramas, sagas, jornadas de autoconhecimento, percebi que estava um pouco decepcionada por ler um livro em que “os garotos” eram a grande questão da história.

Foi estranho, porque pensei ao mesmo como eu havia "crescido" como leitora, porque há poucos anos esse era exatamente o tipo de livro que eu amava, sem nenhuma reserva. Mas, também me deixou aborrecida perceber que eu estava julgando o livro com base nisso. Afinal, ele é bem escrito, tem surpresas (várias), diálogos engraçados e (muito importante!) tem uma jornada de crescimento e autoconhecimento que eu não veria se tivesse parado de ler por implicância.

Da metade até o final, era impossível largar o livro! Muita coisa estava acontecendo, e de um jeito muito muito muito empolgante. Fiquei acordada até 4h43 da manhã, porque de jeito nenhum conseguiria dormir sem saber o final... E agora não consigo pensar em nada além da sequência ‘P.S. I Still Love You’ ('P.S. Ainda amo você').

Em vários momentos, me lembrei de Fangirl enquanto lia. A ausência da mãe, o dilema entre precisar e ao mesmo tempo não querer contar com a irmã, a dificuldade de lidar com mudanças... Drama na medida certa!

Recomendo muitíssimo ‘To all the boys I loved before’!


Beijos!
Comentários
0 Comentários

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário